Detecção de Periodontite Apical

Tomografia de feixe cônico X Radiografia panorâmica e periapical na detecção de periodontite apical

 

A Periodontite Apical é uma infecção do canal radicular que pode envolver estágios progressivos de inflamação e alterações da estrutura óssea periapical, resultando em reabsorção óssea, identificadas nas radiografias como radiolucências. No entanto, alguns estudos demonstraram que uma lesão periapical decorrente de infecção endodôntica pode estar presente e não ser visível radiograficamente, o que retarda o diagnóstico que representa uma estratégia fundamental para determinar o tratamento eficaz.

Para ser visível radiograficamente, uma radiolucência periapical deve ter entre de 30% a 50% de perda óssea. A imagem abaixo mostra lesões que são detectadas por radiografia convencional apenas se houver perfuração, destruição extensa do córtex ósseo na superfície externa ou erosão do osso cortical da superfície interna.

Lesões confinadas ao osso esponjoso não podem ser detectadas. A interpretação radiográfica também é influenciada por variações morfológicas apicais, densidade óssea circundante, angulações radiológicas e contraste radiográfico.

Tomografia de feixe cônico X Radiografia panorâmica e periapical na detecção de periodontite apical

 

Há consenso científico de que a periodontite periapical é identificada com precisão por análise histológica. Por outro lado, foi demonstrado que a tomografia computadorizada de feixe cônico consegue determinar a diferença de densidade entre o conteúdo da cavidade cística e o tecido granulomatoso, favorecendo a escolha por um diagnóstico não invasivo.

Com o intuito de aprimorar o diagnóstico precoce do problema, foi feito um estudo — por universidades brasileiras e americanas — que avaliou a precisão das imagens radiográficas e de tomografia de feixe cônico na detecção da periodontite apical. Acompanhe os resultados.

Estudo comparativo de radiografia e tomografia de feixe cônico no diagnóstico de periodontite apical

 

Foram analisadas 888 imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico e radiografias panorâmicas e periapicais em pacientes com infecção endodôntica.

Métodos de análise de imagens

O estado periapical das estruturas das imagens foi determinado observando-se:

  • estruturas periapicais normais;
  • pequenas mudanças na estrutura óssea;
  • mudanças na estrutura óssea com alguma perda mineral;
  • periodontite com área radiotransparente bem definida;
  • periodontite grave com características exacerbantes.

Análise de dados

Os resultados foram mencionados em tabelas demonstrando a presença de periodontite apical considerando a tomografia de feixe cônico como método de referência. Avaliou-se:

  • sensibilidade;
  • especificidade;
  • valores preditivos;
  • precisão das radiografias periapicais e panorâmicas.

Foi feita, ainda, uma curva ROC (Característica de Operação do Receptor) para avaliar a precisão do diagnóstico de imagens periapicais e panorâmicas.

Resultados

A prevalência de periodontite apical em dentes tratados e não tratados endodonticamente, conforme identificado por radiografias periapicais e panorâmicas e TCFC dentária, é mostrada na Tabela 1:

A grande discrepância entre os métodos de imagem para detectar a doença indica a possibilidade de diagnóstico falso-negativo com o uso de radiografia convencional.

 

A Tabela 2 resume os resultados dos exames de diagnóstico por imagem (periapicais e panorâmicos) para a presença de lesão periapical diagnosticada:

 

Avaliação da Tomografia X Radiografia 

 

Ao analisar os resultados de ambos os métodos diagnósticos, os especialistas concordaram que as imagens de tomográficas de feixe cônico forneciam informações adicionais clinicamente relevantes não encontradas nas radiografias periapicais.

 

Avaliação da Tomografia X Radiografia durante as cirurgias

 

Também foram comparadas as informações obtidas em ambos os exames durante a cirurgia em 50 pacientes. Todos os achados também foram visíveis em exames de tomografia de feixe cônico. Em contrapartida, apenas 61 das lesões foram observadas por radiografias convencionais.

 

Avaliação do canal mandibular

 

Em 31 radiografias foram identificados o canal mandibular, ao passo que a tomografia visualizou o canal em todos os pacientes.

Avaliação óssea

 

A quantidade de osso cortical e esponjoso, bem como a espessura do osso e a extensão tridimensional da lesão só puderam ser interpretados adequadamente nas imagens obtidas por tomografia computadorizada.

 

Conclusão

Pelo que foi exposto, a tomografia computadorizada por feixe cônico é consideravelmente superior à radiografia no diagnóstico de periodontite apical. Com isso, convém ao odontólogo avaliar a importância de solicitar a tomografia sempre que houver dúvida sobre a presença ou não da doença para a escolha da conduta terapêutica.

Peter Velvart, DMD,a Hanjo Hecker, DMD,a and Gabriel Tillinger, DMD,b Basel, Switzerland,
and Nahariya, Israel

Clinic for Periodontology, Endodontology and Cariology,
University of Basel, Switzerland.
In private practice, Nahariya, Israel.
Received for publication Aug 29, 2000; returned for revision Nov 13,
2000; accepted for publication Jul 9, 2001.
Copyright © 2001 by Mosby, Inc.
doi:10.1067/moe.2001.118904